sexta-feira, 27 de março de 2009

Sem ressaca



A ingestão de bebidas alcoólicas pode trazer conseqüências desagradáveis, como a ressaca.Para não acordar no dia seguinte com a sensação de que um trem passou por cima de você, é preciso seguir algumas recomendações. A primeira é comer antes de começar a beber:Se a pessoa não tiver comido antes de ingerir bebidas alcoólicas, um músculo em forma de anel chamado válvula pilórica se abre, permitindo a passagem do líquido para o intestino delgado. Neste órgão, o álcool é absorvido imediatamente, fazendo com que a pessoa fique bêbada rapidamente. Além disso, as bebidas alcoólicas irritam o aparelho digestivo, provocando vômitos.


Não se deve misturar bebidas fermentadas com destiladas. Essa mistura faz com que as pessoas percam o controle da quantidade que consumiram mais facilmente, além de irritar o estômago e aumentar a indisposição gástrica.

Outra dica é não exagerar na dose, respeitando o limite de consumo de baixo risco. Os homens não devem beber mais do que dois drinques e as mulheres mais do que um. Um drinque equivale a 50ml de bebida destilada, uma lata de cerveja ou uma taça de 150ml de vinho ou champanhe. Outra dica é colocar uma ou duas pedras de gelo nas bebidas alcoólicas. Essa medida faz com que a pessoa consuma a bebida mais diluída. Recomenda também que as pessoas intercalem o consumo de bebidas alcoólicas com água isotônicos ou refrigerantes.
Os principais sintomas da ressaca são sensação de sede, dor de cabeça, moleza no corpo e náuseas. Para curar e ressaca, recomenda-se bastante repouso, ingerir muito líquido e uma alimentação leve.





A ressaca pode vir acompanhada da desidratação do organismo. Desidratação é a perda dos sais minerais como sódio, potássio, magnésio e cálcio. O que acontece no nosso organismo quando ingerimos bebidas alcoólicas? Uma pequena quantidade de álcool passa pela parede estomacal, cai na corrente sanguínea e chega até o cérebro.

No intestino delgado, a válvula pilórica se abre, fazendo com que ela chegue até o intestino delgado. O etanol atua na hipófise, glândula localizada no cérebro, bloqueando a produção do hormônio antidiurético, fazendo com que a pessoa necessite urinar seguidamente.Enzimas do fígado quebram os dois tipos de álcool, transformando-as em outras substâncias.O etanol é convertido no tóxico acetaldeído, que provoca a sensação de enjôo e cabeça latejante, e ácido acético. O metanol é convertido em formaldeído e o tóxico ácido fórmico, responsável pelos piores sintomas da ressaca. O cérebro contrai devido à perda de água, que acaba esticando estruturas nervosas sensíveis à dor que se conectam ao crânio. Isso causa a dor de cabeça.NÃO ESQUEÇA...SE FOR BEBER NÃO DIRIJA

Nenhum comentário:

Postar um comentário