segunda-feira, 16 de março de 2009

Trabalhadores de Poço Verde recebem curso de confecção

“Jamais imaginei que seria capaz de produzir uma sandália. Depois dessa capacitação, vi que posso contribuir para o sustento da minha família”. A afirmação da dona-de-casa e agora técnica em produção de calçados Isabel Ferreira expressa o sentimento dos 162 cidadãos do município de Poço Verde, localizado a 145 quilômetros de Aracaju, que na noite da última quarta-feira, 10, no Espaço Cultural e Turístico José Joaldo Lisboa de Araújo, receberam o certificado de conclusão de um curso voltado para a confecção de calçados promovido pela Secretaria de Estado do Trabalho, da Juventude e da Promoção da Igualdade Social (Setrapis).
O projeto denominado ‘Calçando o Futuro’ buscou qualificar trabalhadores que já atuavam no setor calçadista e pessoas que jamais tiveram a chance de conhecer o processo de fabricação de calçados. Durante aproximadamente um mês, habitantes de Poço Verde puderam obter informações sobre associativismo, cooperativismo e aprimorar as técnicas utilizadas durante o trabalho.
A iniciativa, coordenada pela Cooperativa Produtora de Calçados em Poço Verde (Coopercal), recebeu o apoio do governo do Estado que, através da Setrapis, investiu mais de R$ 67 mil na oferta da capacitação. “Aqui nós encontramos pessoas com uma vocação natural para esse tipo de trabalho e que precisavam apenas se aperfeiçoar. Estamos capacitando cidadãos para atender a uma demanda do mercado e garantir que rapidamente eles possam conseguir um emprego”, explicou o secretário de Estado do Trabalho, José Sobral.
Uma boa alternativa de trabalho para os habitantes do município que apresenta um dos menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) de Sergipe e possui uma forte dependência do setor agrícola, especialmente do cultivo de feijão e milho. Com o projeto, o Estado busca oferecer novas oportunidades para a geração de emprego e renda, fortalecendo o desenvolvimento desta região. “Essa medida ajuda a interiorizar o desenvolvimento sergipano, incluindo pessoas pela renda e dando dignidade aos cidadãos. Levando ações como essa para o interior, conseguimos despertar o espírito empreendedor das comunidades e dinamizar toda a economia da região”, destacou José Sobral.
Associativismo
A idéia de procurar o governo de Sergipe em busca de apoio partiu do presidente da Coopercal, Silvano Marques. Ele, que em julho de 2006 resolveu criar a cooperativa com um grupo de amigos, encaminhou um projeto à Setrapis solicitando o curso e foi prontamente atendido pela equipe técnica do órgão. “Uma ação como essa contribui para a permanência de dezenas de jovens no município, fortalecendo laços familiares e garantindo a ocupação de trabalhadores de maneira socialmente justa”, afirmou.
A cooperativa é formada por cerca de 50 associados, número que será incrementado com a filiação dos novos técnicos formados a partir do curso. Toda a produção de 300 pares de sandálias fabricadas diariamente pelos cooperados é comercializada nas feiras livres dos municípios sergipanos de Poço Verde e Simão Dias e nas cidades baianas de Heliópolis e Paripiranga.
Feliz com a iniciativa, Silvano Marques vislumbra melhorias nas condições de vida dos cidadãos dos municípios. “Através desse curso, conseguimos reinserir no mercado pessoas que não tinham mais condições de trabalhar no campo e dar uma esperança para muitos que até então estavam desacreditados. Durante muito tempo tentamos buscar parcerias e foi graças a Setrapis que conseguimos realizar nosso sonho”, ressaltou.
Sonho realizado pelo cabeleireiro e membro da cooperativa, José Raimundo Rabelo. Mesmo com uma profissão, ele decidiu apostar na idéia do trabalho desenvolvido em conjunto com os seus colegas e partiu em busca uma nova oportunidade. A esperança é tão grande que o novo técnico trouxe a mulher e o filho para participar da capacitação. “Esperamos que essa iniciativa possa gerar empregos diretos e indiretos e trazer melhorias para o nosso município. Agora teremos capacidade para produzir produtos com mais qualidade”, disse o cooperado.
Apoio
No que depender do governo de Sergipe, de acordo com o secretário José Sobral, incentivo não vai faltar para os membros da cooperativa. “Estamos abertos para receber um novo projeto e daremos todo o apoio que for necessário. Colocamos também o Banco do Estado de Sergipe (Banese) à disposição de todos os cooperados para que possam ter acesso ás operações de microcrédito e dessa forma ajudar no financiamento da produção. O governo quer continuar sendo parceiro de vocês”, pontuou.
O próximo projeto da Coopercal é buscar apoio para a realização de um curso voltado para o trabalho com artefatos de couro, de forma que os cooperados consigam produzir bolsas, cintos e capas para celulares a partir do couro de bovinos e caprinos da própria região.um curso voltado para o trabalho com artefatos de couro, de forma que os cooperados consigam produzir bolsas, cintos e capas para celulares a partir do couro de bovinos e caprinos da própria região.
Fonte: Jornal da Cidade - Aracaju

Nenhum comentário:

Postar um comentário