sexta-feira, 28 de agosto de 2009

POVOADO BARNABÉ TEMA DO CINFORM

A matéria a seguir, foi tema no jornal Cinform dessa semana na coluna história dos povoados de Sergipe

Jornal Cinform

O TEMPO PAROU NO POVOADO BARNABÉ

A cerca de cinco quilômetros da sede do município de Simão Dias, no centro sul sergipano, está o povoado Barnabé. Ou seria Paracatu, ou Pau de Colher? A confusão nominal acontece porque o povoado foi registrado com três nomes. Ele nasceu Paracatu, mas como um dos primeiros moradores chamava-se Barnabé, recebeu o seu nome, como sinal de honra e agradecimento. “Foi ele quem doou as terras daqui”, justifica a servente Maria Ilda de Oliveira Nascimento, de 53 anos.
Quando a simpática Ilda de Oliveira comenta sobre ‘as terras’, ela está se referindo ao espaço onde foi construída a pequena igreja católica do povoado – que tem São João como padroeiro e um relógio pintado em sua fachada, marcando sempre 12h15 – e a área da única escola, a de 1º Grau Prefeito José Neves da Costa, que tem apenas o ensino fundamental. Fora isto, o Barnabé conta com algumas casas, contadas nos dedos, um bar, três ruas, sendo todas calçadas, e uma praça, construída em junho de 1999.

Posto de saúde o povoado Barnabé não tem. E é isso o que mais deseja a pacata comunidade. “Quando nós precisamos de médico temos que ir ao posto do Pau de Colher. Todo mundo vai pra lá”, informa Silvina Maria do Nascimento, 60 anos, referindo-se ao povoado vizinho. “E como o posto é lá, a Energisa colocou a nossa conta com o endereço do Pau de Colher”. É este o motivo que justifica a existência de um terceiro endereço, segundo explica a servente Maria Ilda de Oliveira Nascimento.

ROTINA

A vida no Barnabé é tranquila. A comunidade retira o sustento da roça, através do plantio de feijão e de milho. As crianças brincam na praça e os adultos se concentram na igrejinha, recém-reformada por João Correia do Nascimento, o morador mais antigo de lá. Seu João tem 87 anos e é ex-combatente das Forças Expedicionárias Brasileiras, o que é motivo de orgulho para a família que exibe na parede principal de casa, bem às vistas de quem chega, um quadro com o brasão das Forças Armadas e outro com a foto de seu João, uniformizado rumo à Segunda Guerra Mundial.

Hoje seu João fala pouco, devido a uma enfermidade, mas mantém um carisma indescritível. Ele diz que o Barnabé teve um grande desenvolvimento desde quando os dias de sua juventude. “Só tinha duas ou três casinhas aqui. Era tudo muito diferente”, relata o aposentado, que declara um amor incondicional pelo lugar em que vive desde o nascimento. “Gosto daqui. As pessoas são boas, não fazem caretas”, argumenta com simplicidade, fazendo menção à falsidade.

Outro sonho da comunidade do Barnabé é ter uma mercearia. “Nós saímos pra fazer compras na feira de Simão Dias ou no Triunfo. É complicado”, desabafa Ilda de Oliveira. O Triunfo que a servente cita é o povoado vizinho, situado a dois quilômetros, no sentido Poço Verde. Ele é considerado o lugarejo mais desenvolvido do município de Simão Dias e teve sua história contada pelo CINFORM na edição 1330 de 6 de outubro de 2008. Mesmo carente de estrutura física, o Paracatu, Barnabé ou Pau de Colher é o endereço de um povo simples que conta os dias com amizade e alegria, desde que ninguém faça careta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário