sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Quatro milhões de crianças morrem no mundo antes de completar um ano

Na véspera do aniversário de 20 anos da Convenção sobre os Direitos das Crianças (CDC), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) lançou nesta quinta-feira (19) o relatório "A Condição da Infância no Mundo", levantamento que faz um balanço das metas sociais alcançadas nas últimas décadas e estabelece os desafios para os próximos anos O documento, apesar de comemorar avanços conquistados, alerta para situações como o baixo índice de mães que recebem orientação durante a gestão, fator responsável pela morte de quatro milhões de recém-nascidos com menos de um ano de idade. As estimativas internacionais mais recentes indicam que aproximadamente uma em cada quatro gestantes não recebe sequer uma visita de um profissional de saúde capacitado para atendimento pré-natal, e que dois em cada cinco partos ocorrem sem a assistência de um médico, uma enfermeira ou uma parteira. Além dos óbitos, outro resultado dessa realidade é que cerca de 14% das crianças nascem pesando menos de 2,5 quilos, condição que gera más condições de saúde. Nos que sobrevivem à peneira da falta de atendimento, no entanto, os números mostram que o trabalho pela defesa das crianças está dando frutos. O número de mortes de menores de 5 anos caiu de 12,5 milhões, em 1990, para menos de nove milhões, em 2008 - apesar de ainda morrerem, em média, 25 mil crianças menores de 5 anos por dia, principalmente por questões primitivas como falta de água e de saneamento.

Fonte: UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário