quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Déda volta ao governo em janeiro

O governador Marcelo Déda participou de coletiva com a imprensa e fez um balanço de 2009

Marcelo Déda participou na tarde desta quarta-feira, 23, de uma coletiva com a imprensa e fez um balanço da gestão em 2009. Após recuperação de duas cirurgias e ainda afastado do Governo, ele se mostrou bastante disposto e deixou claro que espera voltar aos trabalhos em janeiro. “Tentei voltar em dezembro, mas não fui aconselhado pelos médicos porque ainda apresentava um quadro de anemia. Quem comanda o meu corpo são os medicamentos e a graça de Deus”, afirma Déda. Sobre 2009, o governador informou que o Estado enfrentou uma crise econômica e que o maior impacto foi na queda da arrecadação. “Tivemos um ano complexo, mas o Brasil passou pela crise de forma muito positiva. Em Sergipe nós conseguimos também superar a crise apesar da queda das receitas públicas. Durante o ano o Estado não suspendeu uma obra e ao mesmo tempo concedeu reajustes históricos para os professores e policiais militares”, ressaltou.
Saude
Déda também ressaltou que um dos principais focos do Governo foi a área da Saúde. De acordo com o governador, o Estado está investindo R$ 300 milhões na melhoria e ampliação dos serviços de saúde. “Construímos e adequamos 102 clínicas de saúde da família, além da construção de oito centros de especialidades odontológicas, 34 bases do Samu, ampliação e reforma do pronto-socorro do Hospital de Urgência e Emergência de Sergipe”, salientando que outras melhorias estão por vir, a exemplo dos R$10 milhões investidos em novos equipamentos e a construção de dois novos hospitais em Lagarto e Estância.
Infraestrutura
Marcelo Déda também ressaltou algumas obras e melhorias no setor da habitação. “Na área da infraestrutura nós concluímos a Rota do Sertão, rodovia Porto da Folha (Ilha do Ouro), restauração da rodovia Laranjeiras de Pedra Branca que dá acesso à usina Pinhero, além da duplicação da SE-270 que dá acesso urbano a Simão Dias”, afirmou Déda, destacando ainda outras melhorias essências para a população. “1660 famílias foram beneficiadas com o projeto Casa Nova Vida, um investimento de 22 milhões de reais que construiu casas nas cidades de Capela, Cristinápolis, Frei Paulo, Itabaiana, Nossa Senhora da Glória, Poço Verde, Porto da Folha e Salgado”, conta.
2010
Para o próximo ano Marcelo Déda espera um ano positivo. “Temos dados que ajudam os estados a terem um 2010 muito melhor que 2009. Com certeza será um ano muito positivo com relação às finanças públicas”, planeja.
Secretários
Com a saída de alguns secretários que vão disputar as eleições o governador enfrenta o desafio de remanejar as secretarias. “Vamos ter pelo menos cinco secretários que vão se ausentar para disputar as eleições até abril. Vamos conversar com todos e colocar técnicos capazes de manter o projeto do governo”, afirmou.
Eleições
Ao ser questionado sobre as próximas eleições, o governador foi enfático ao dizer que faz política com diálogo e que não aceita ser ameaçado pela oposição. “Comigo ameaça não funciona, comigo é no diálogo, debate franco e na avaliação política. Não podemos ter tensão pré-eleitoral. Não estou sendo ameaçado, apenas pontuando um tema sobre a questão da aliança”, afirmou.
Belivaldo Chagas
Sobre um suposto desentendimento com o vice-governador Belivaldo Chagas, Déda disse que são apenas factóides. “Isso não existe. É o que chamamos de ‘flor do recesso’, quando uma notícia é criada apenas como factóide. Não existe nenhum problema na minha relação com Belivaldo Chagas”, negou. “Belivaldo tem todos os direitos e atributos para continuar no cargo. No entanto, os partidos da coligação é que vão escolher os nomes para compor a chapa para as próximas eleições”, esclarece.
Almeida LimaAo destacar que tem um compromisso firmado com o deputado federal, Jackson Barreto, e o senador, Antônio Valadares, Marcelo Déda, foi questionado sobre um suposto pedido do presidente Lula para uma aliança com o senador Almeida Lima e foi contundente ao falar sobre o assunto. “Passei o domingo [20] na Granja do Torto onde jantei com o presidente e a primeira dama e não recebi nenhum pedido com relação à composição da chapa em Sergipe. O PMDB faz parte do nosso grupo e o senador Almeida integra o partido. Não existe nenhum tipo de restrição com relação ao senador, sou até muito grato a ele, mas já disse ao senador os meus compromissos políticos”, explica Déda.

Fonte: Infonet

Nenhum comentário:

Postar um comentário