terça-feira, 29 de março de 2011

Mulher mata filhas gêmeas recém nascidas em Simão Dias


Uma jovem identificada como Josefa Alexandra de Jesus de 28 anos é acusada de assassinar as duas filhas recém nascidas, logo após o parto. O crime aconteceu na madrugada desta segunda-feira, 28, no povoado Candeia Grande, no município de Simão Dias, distante 105 Km da capital Sergipana.
De acordo com populares, a jovem, que estava grávida de nove meses e morava com o filho de 10 anos, aparentava ter problemas psicológicos. Alexandra teria se trancado no banheiro, onde provavelmente deu à luz, e em seguida teria colocado as duas meninas gêmeas dentro de um saco plástico e em seguida escondido dentro do guarda-roupa.
Crime
As informações dão conta que durante a manhã de segunda-feira, a cunhada de Josefa Alexandra, que estava dormindo na casa no momento do parto, teria percebido a barriga da jovem um pouco menor. “A cunha contou que notou a barriga de Josefa estava menor e percebeu que ela estava com as chaves do guarda-roupa na mão, pedindo que ninguém mexesse nas coisas dela. Quando ela saiu o cunhado foi lá, abriu o guarda- roupa e achou as duas meninas dentro dos sacos, escondida embaixo das roupas”, relata uma vizinha, que preferiu não ser identificada.
Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada e constatou o óbito das meninas. “Depois a polícia chegou e ela foi encaminhada para Aracaju, para um hospital, já que estava muito agressiva”, relata a vizinha.
Histórico
As informações ainda dão conta de que essa não é a primeira vez que Josefa Alexandra comete um crime como esse. “Quando ela era casada, ela teve um menino e todo mundo aqui comenta que ela matou e enterrou no quintal. Na época o marido 'colocou o advogado' e a coisa foi esquecida”, revela outra vizinha.
As vizinhas também denunciaram que a jovem sofre maus tratos. “Ela não parece ter problemas mentais. Na verdade quando ela perdeu o marido em um acidente de trânsito, a família do marido tomou conta de tudo, até da pensão dela. Para você ter uma idéia, ela tava grávida e não tinha enxoval, nem mesmo fralda para esperar a criança. Sem contar que ela deveria estar recebendo acompanhamento médico. Ela vive dentro dessa casa numa situação miserável, sem nada, enquanto a família dele recebe o dinheiro da pensão dela”, denunciam as vizinhas.
Delegado
De acordo com o delegado de Simão Dias, Fábio Pimentel, a jovem responderá pelo crime. “Após o parto a mulher passa por um período chamado de puerpério, onde existe uma variação no comportamento, podendo levar a mãe a matar o filho. Ela foi encaminhada para um hospital em Aracaju, onde passará por exames que comprovem o estado mental e físico”, explica  Fábio.
Ainda segundo o delegado, se for comprovado que ela estava em estado puerpério, ela responderá pelo crime de infanticídio. “Está previsto no artigo 123 do código penal, que se a mulher matar sob influência puerperal, ela responderá por infanticídio e não homicídio. Mas caso os exames não comprovem esse estado, ela vai responder por homicídio”, acrescenta o delegado.
Quando questionado em relação às acusações feitas pelos vizinho de que a jovem já teria assassinado outro filho, o delegado revelou que também tomou conhecimento dessas informações. “Nós vamos investigar e tudo fará parte do inquérito que será  encaminhado a justiça”, explica.

 Fonte: Blog do Bob

Nenhum comentário:

Postar um comentário